Siga nossas Redes
'
');

GERAL

Institutos promovem ações socioassistenciais a 6 mil famílias em cinco municípios capixabas

Publicado

em

Institutos aprovados no Edital de Proteção Social da Fundação Renova estão desenvolvendo projetos que envolvem a participação de idosos, mulheres, crianças e adolescentes e adultos em geral em cinco municípios capixabas. Cada uma das oito instituições tem seu próprio projeto e, para desenvolvê-lo, estão recebendo um total de R$ 4 milhões para atuarem em Aracruz, Baixo Guandu, Colatina, Marilândia e Sooretama.

Ao todo, os projetos disponibilizam, aproximadamente, 6 mil atendimentos a famílias capixabas. Mais de 1,3 mil alunos contarão com palestras de educação ambiental nas escolas e 80 alunos serão capacitados como condutores turísticos mirins.

Em Aracruz, a associação Amigos da Justiça, Cidadania e Arte desenvolve o projeto Saber Viver: Construindo Novas Vivências, direcionado a públicos diversos. As crianças e adolescentes participam de aulas de robótica. Já os idosos frequentam aulas de dança, enquanto as mulheres participam de atividades relacionadas a estética e empoderamento feminino.

Em Baixo Guandu, o Instituto Elos de Resistência realiza o projeto Educando para a Vida, direcionado a crianças, adolescentes e jovens, que participam de atividades esportivas como futebol e capoeira.

“O Programa de Proteção Social tem por objetivo desenvolver e executar ações para promover a proteção social, por meio de ações socioassistenciais, incluindo atividades socioculturais e apoio psicossocial, realizando o acompanhamento às famílias e aos indivíduos vulneráveis moradores de municípios atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana”, diz Maria Albanita Lima, especialista do Programa de Proteção Social da Fundação Renova.

O Programa

O Programa de Proteção Social é desenvolvido a partir de 2 eixos principais. O primeiro deles acontece por meio do Termo de Cooperação Técnica, no qual os recursos financeiros são repassados diretamente aos municípios. O valor é destinado para a disponibilização de profissionais para ampliar o atendimento às famílias vulneráveis e para a compra de insumos para as atividades dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

O segundo eixo é o Acordo de Cooperação Técnica, no qual a Fundação Renova destina recursos para projetos inéditos ou iniciativas já existentes apresentadas por instituições da rede de proteção social e outras entidades que tangenciam a assistência social nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Nos dois eixos, mais de 100 profissionais, entre assistentes sociais e psicólogos, atuam nos municípios aderentes ao Plano de Reparação em Proteção Social. Atualmente, cerca de R$ 33 milhões e 18 veículos foram disponibilizados para que cidades, ao longo da bacia do rio Doce, desenvolvam o Plano de Reparação em Proteção Social e atendam mais de 21 mil famílias vulneráveis moradoras de municípios atingidos.

Além disso, 11 projetos estão em execução ou contratação via entidades socioassistenciais em 7 municípios do Espírito Santo e Minas Gerais.

Publicitário, acadêmico de Direito e redator do Portal de Notícias O Singular. Escrevo notícias de diversas categorias, como: Geral, Política, Fé e de utilidade pública.

Continue Lendo
Advertisement

SEJA UM AGENTE DA INFORMAÇÃO

[email protected]

 (27) 99257-7565

Participe do nosso site enviando sugestões de conteúdo, fatos e os acontecimentos registrados por você. Seja um agente da informação! Seja diferente, seja Singular!

Advertisement

MAIS LIDAS